Post de hoje no Blog do Empreendedor: Você sabe o que é brand utility? Uma rápida história do guia de turismo mais famoso do mundo

Conheça como as marcas criam materiais gratuitos que fazem diferença na vida dos consumidores. Leia mais no post de hoje no Blog do Empreendedor.

Inspiração: Suco e Só

image

Quem confia cegamente nas palavras bonitinhas dos rótulos de sucos de caixinha supostamente “naturais” e “saudáveis”? Basta uma rápida passada de olhos pela longa lista de ingredientes para perceber, entre outros problemas, que normalmente há mais açúcar do que fruta na maioria desses produtos.

Há alguns anos, Betina Pisani Ferreira e Carlos Azevedo Ferreira perceberam que não havia no mercado sucos realmente naturais, sem adição de açúcar ou conservantes. Resolveram fundar a empresa Suco e Só, que hoje vende quatro sabores de suco integral - uva, maçã, tangerina e laranja - em cerca de 400 pontos de venda na região metropolitana de Curitiba.

Betina e Carlos se inspiraram nos seus avós, que produziam quase tudo que comiam, em uma época em que “não tinha essa de dar um pulo no mercado”, como contam no site da empresa. E descobriram que não era necessário adicionar nada aos sucos para conservá-los por até dois anos: bastava a fruta. No caso da Suco e Só, a matéria-prima é produzida em Santa Catarina.

O produto chamou nossa atenção enquanto estávamos em uma padaria no bairro Batel, na capital paranaense. A garrafinha de vidro - para deixar bem claro o que o consumidor está comprando - tem um bom design e o rótulo é bem pensado e muito simples. Vai direto ao ponto: é 100% puro suco. A descrição de ingredientes no verso confirma: nem mesmo água é adicionada às garrafinhas de 300 mililitros ou 1 litro. Apenas suco. Como nossos avós fariam!

Pequenas ações que surpreendem

Confira o post de hoje no Estadão PME: 4 casos que nos chamaram atenção nos últimos tempos de ações surpreendentes. Confira aqui, na nossa coluna semanal do Blog do Empreendedor.

Blog do Empreendedor: As aparências importam (inclusive nas prateleiras dos supermercados)

No post de hoje do Blog do Empreendedor, no Estadão PME, falamos da importância dos cuidados nos detalhes das embalagens, tanto no design, como nas informações. Leia mais aqui!

Uma nova máquina, muitas possibilidades!

Essa semana estamos instalando a nova máquina da Laticínios Pomerode. Ela substitui um equipamento manual que estava obsoleto, sem condições de garantir a produtividade que objetivamos. Agora, ela é totalmente automatizada, o que garante maior consistência das receitas em cada lote, menor dependência das pessoas (e, consequentemente, melhor condição de trabalho para os funcionários) e redução de custos de produção.

A automação da produção é algo que priorizamos, inclusive, desde os tempos de Cervejaria Eisenbahn. Quanto mais controlado for o processo, maior a garantia de que o seu produto vai sempre ter o mesmo sabor, cheiro, textura - algo extremamente importante para conquistar novos consumidores.

Com a nova máquina, estimamos um aumento de 50% na capacidade de produção da empresa. Além disso, ela vai nos permitir fazer outros produtos - e não apenas laticínios, mas geléias, doce de leite, molhos diversos, cream cheese, requeijão e outros. Estamos estudando uma extensão bem interessante na nossa linha de produtos!







Vermont, pra quando?

image

Constantemente as pessoas nos perguntam, pelas redes sociais ou mesmo pessoalmente, como está o nosso projeto Vermont, a linha de queijos especiais que sonhamos lançar desde bem antes do começo do Diário do Queijo. Essa expectativa nos deixa muito contentes, sinal de que as pessoas estão ansiosas para experimentá-los. No entanto, nosso cronograma segue bastante atrasado.

Isso é bem normal na implementação de um novo negócio, ainda mais quando o produto é novo no país, caso de alguns dos queijos que pretendemos produzir. Dependemos muito de terceiros, e queremos estar com cada detalhe dentro do que a legislação exige.

Um dos pontos importantes é a liberação do Serviço de Inspeção Federal (S.I.F.). Há quatro meses, entregamos uma série de documentos para o órgão, e fomos informados há algumas semanas de que teremos de fazer algumas adequações ao projeto. Como pretendemos trabalhar com vários queijos diferentes, inclusive queijos com mofos (fungos responsáveis pelo sabor dos queijos, como aquela camada branca de um brie ou os veios azulados de um gorgonzola), é preciso muito cuidado para evitar contaminação cruzada entre eles.

Recentemente, fizemos uma visita à FATMA (Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina) e soubemos que as licenças ambientais estão demorando entre 12 e 18 meses para sair (quando normalmente não devem levar mas mais que quatro meses). Como entramos com a papelada em abril, a expectativa agora é que somente em 2015 tenhamos a documentação liberada.

Também percebemos já que os fornecedores de equipamentos oferecem prazos bem extensos para entregar esses produtos, de até 120 dias.

Tudo isso nos leva a crer que, embora tenhamos remarcado a possível data de lançamento dos primeiros queijos Vermont para outubro, provavelmente teremos de esperar um pouco mais. Paciência.

Por sorte, já temos uma empresa em funcionamento, a Laticínios Pomerode, e enquanto não podemos fazer os queijos Vermont, estamos investindo em novos produtos e embalagens dentro daquilo que é possível. Caso contrário, estaríamos acumulando apenas gastos e despesas.

O bom hábito de criar novidades para o mercado

No post de hoje do Blog do Empreendedor, do Estadão PME, falamos sobre a importância de estar sempre trabalhando no desenvolvimento de novidades. Confira o o post clicando aqui

Post de hoje do Estadão PME: Prevendo o imprevisível

No post de hoje do Blog do Empreendedor, no Estadão PME, finalizamos a lista de 6 perguntas que todo empreendedor deve se fazer de empreender. Confira aqui

Versão Light

Além do Kraeuterkaese, ou Creme de Parmesão com Erva Fina, a Laticínios Pomerode produz mais quatro bisnagas de queijo fundido. Uma delas é a versão light, com 30% menos calorias, e que finalmente começa a ser distribuída em sua nova embalagem, na mesma linha daquela que lançamos em abril.

Ainda vamos lançar novas embalagens para as bisnagas de Creme de Parmesão com os sabores tomate seco, páprica e cebola e salsa. Como somos uma empresa pequena,  não podemos simplesmente descartar as embalagens que temos em estoque: estamos esperando primeiro os estoques de embalagens antigas acabarem. Em pouco tempo, toda a linha de produtos já deve estar repaginada nas prateleiras dos pontos de venda.

A concorrência quer te matar

Post de hoje no Blog do Empreendedor, no Estadão PME: A concorrência quer te matar http://goo.gl/OikWGV