Inspiração: Cuore di Cacao

image


Há 10 anos, as irmãs Bibiana e Carolina Schneider uniram suas habilidades e paixões para fundar um negócio inovador em Curitiba, Paraná: a Cuore di Cacao, uma das primeiras fábricas especializadas em chocolate premium no país. A empresa conta hoje com duas belas lojas na cidade, e desde o ano passado oferece a linha Ouro Negro, em que o chocolate é produzido desde a amêndoa do cacau, 100% brasileiro e de origem controlada.

image

image


Usando produtos da mais alta qualidade e estratégias de marketing inteligentes, a dupla desenvolveu uma das mais reconhecidas e premiadas marcas do setor no Brasil. A história delas lembra um pouco o que fizemos com a Eisenbahn e pretendemos fazer, agora, com nossa linha de queijos da Vermont: sendo uma das pioneiras, elas tiveram o cuidado de “ensinar” o consumidor sobre o diferencial dos seus chocolates, e o que os tornava tão especiais. Conquistaram clientes através de cuidadosas sessões de degustação e muita informação e orientação.

A irmã mais nova Carolina, é a chocolatier da empresa. Aos 14 anos, já trilhava o caminho da gastronomia, aprendendo francês para estudar na França e na Suíça. Já Bibiana sempre demonstrou um grande interesse pela área de criação. É ela a responsável pelo desenvolvimento da identidade visual dos produtos da Cuore di Cacao, outro grande diferencial da marca: os produtos são daqueles que quase dão pena de comer (claro, a dúvida passa na primeira mordida). Inovação no sabor e na apresentação!

imageCarolina e Bibiana, irmãs e fundadoras da Cuore di Cacao.

Estreia nacional

image


Hoje é mais um dia muito especial para nós: estreamos como colunistas no Blog do Empreendedor, do Estadão PME! A partir de agora, todas as terças-feiras publicaremos um artigo exclusivo sobre nossas experiências de empreendedorismo, como estamos fazendo aqui no Diário do Queijo há mais de um ano.

Nosso blog foi o cartão de visitas para o convite dos jornalistas do Estadão, feito meses atrás. Tramitamos papelada, definimos nosso foco e agora, finalmente, estamos dando início a essa parceria!

Além de nós, o atual time de colunistas do blog é formado por Marcelo Nakagawa, professor de empreendedorismo do Instituto de Ensino e Pesquisa, Rafael Mambretti, da Carbono Zero Courier, e Leo Spigariol, criador da marca de molhos De Cabrón.

Nosso primeiro post traz uma curta apresentação da nossa história, para aqueles que ainda não a conhecem. Convidamos vocês a seguir o Blog do Empreendedor e nos acompanhar todas as terças-feiras!

Acesse o blog aqui!

Reunião e happy hour

imageReunião de apresentação de resultados da Laticínios Pomerode


Todos os meses fazemos uma reunião para apresentar e debater os resultados da Laticínios Pomerode, com a presença dos responsáveis pelas principais áreas da empresa: administração, comercial e produção.

Abrimos todos os números, sem censura nenhuma. Acreditamos que isso só ajuda a desenvolver a empresa com mais fluidez.

Alguns empreendedores, no entanto, mantém uma cultura de esconder dados e fatos, com medo de possíveis reações negativas. É um costume que, no Brasil, se deve muito ao mito de que o lucro não deve ser exposto, por uma série de razões. Por outro lado, se o resultado não está bom, é aquele falatório. As notícias se espalham de forma distorcida e podem criar um caos onde não deve existir caos. Já ouviram falar na tal da “rádio peão”? Pois é. Ela está, na verdade, em todos os níveis hierárquicos de uma empresa.

Os líderes de uma empresa devem estar por dentro de tudo que acontece nela para poder contribuir. Sempre é melhor deixá-los a par dos fatos em vez de escondê-los.

Semana passada, reunimos Denner Crisostomo (nosso controller), José Gustavo dos Santos Pereira (tecnólogo em laticínios, que toca a produção na fábrica), Josef Lotscher (Mestre Queijeiro responsável pela produção) e Murilo Teodoro (supervisor de vendas).

Analisamos o faturamento da empresa desde que assumimos o negócio, em agosto de 2013, e comparamos com o ano anterior. Apresentamos o total de investimentos feitos até o momento, o fluxo de caixa e nossa necessidade de vendas. Apresentamos também todas as ações já feitas, na área comercial, no marketing, na produção, no desenvolvimento de produtos e na administração.

Depois, fizemos um merecido happy hour no The Basement. Afinal de contas, temos de aproveitar a “facilidade” de nosso escritório ficar a apenas dois andares do pub!

imageDepois da reunião, nada como aproveitar a proximidade do escritório com o The Basement e
fazer um happy hour

Dica do Empreendedor: Invista em redes sociais

image

Um post bem longo, mas com dicas e cases bem interessantes dos tempos de Eisenbahn, do The Basement, trouxe bastante leitores para o blog. Fizemos inclusive uma tabela com dicas sobre o que fazer e o que não fazer nessa relação online com seus clientes.

Vale a pena retomar a leitura desta Dica do Empreendedor!

Um logotipo moderno para uma empresa tradicional (5º)

image

Quase imediatamente depois de fecharmos negócio para a compra da Laticínios Pomerode, anunciamos mudanças sutis, porém essenciais, no logotipo da empresa, que pedia uma atualização. Também queríamos dar logo uma nova cara para a empresa.

Releia e veja como ficou o novo logotipo aqui.

Enfim, novas embalagens!

image

Quem visitar a partir desta semana a seção de laticínios dos empórios, padarias e mercados aqui do Vale do Itajaí vai notar (assim esperamos!) um produto “novo” nas gôndolas. Depois de um longo trabalho com o designer Arthur Presser e a Noto Design de Negócios, começamos a distribuir nos pontos de venda da região a embalagem repaginada do Kraeuterkaese, o tradicional queijo fundido da Laticínios Pomerode.

A novidade está na embalagem. Dentro, a receita permanece a mesma!

Cara nova
Em novembro do ano passado já havíamos comentado aqui, no Diário do Queijo, que gostaríamos de mudar o design das embalagens dos produtos, dentro do processo de dar uma nova cara para a empresa. As bisnagas eram as mesmas desde a fundação da Laticínios Pomerode, em 2002:

image

Apostávamos no nome Kraeuterkaese, mas fomos convencidos pelos resultados de uma pesquisa realizada pela Noto de que a palavra de origem alemã, que significa “queijo com ervas”, tinha uma aceitação um tanto quanto complicada para o consumidor de fora da nossa região.

E como pretendemos aumentar as vendas nas regiões Sul e Sudeste, precisávamos encontrar um novo jeito de “explicar” o produto para novos consumidores potenciais. Até que encontramos a descrição perfeita, Creme de Parmesão, o que dá destaque a um dos pontos altos da receita: o uso de queijo parmesão de alta qualidade.

Não abandonamos a expressão Kraeuterkaese, mas a colocamos em segundo plano. Também demos mais destaque para a marca Laticínios Pomerode, afinal, a cidade é sinônimo de qualidade e boa gastronomia pelo Brasil afora.

Aos poucos, as novas embalagens devem chegar aos nossos pontos de venda no restante do país.

image

E antes que saudosistas reclamem, argumentamos: a nova embalagem é bem mais parecida com a primeira, comercializada a partir da década de 1940 pela Companhia Wegge. O que você acha?


image

Top 10 - A arte de afinar queijos (6º)

image

Em abril de 2013, divulgamos no blog uma matéria muito bacana publicada no suplemento Paladar, do jornal O Estado de São Paulo, revelando que a maioria dos queijos comprados aqui no Brasil precisam ainda ser maturados para atingir seu ponto ideal de consumo.

A matéria explica como fazer isso em casa e ainda faz um teste com algumas marcas. Material interessantíssimo para amantes dos bons queijos.

Releia aqui!

Top 10 - Plano de Ação Administrativo (7º)

Dando sequência aos nossos 10 posts mais lidos no primeiro ano do Diário do Queijo, reblogamos hoje um texto que mostrava nosso plano de ação logo após a compra da Laticínios Pomerode, descrevendo pontos importantes nas áreas de Contabilidade, Financeiro, Recursos Humanos (RH) e Tecnologia de Informação (TI). Assunto bem interessante para quem está começando a empreender!

Releia o post aqui.

Sobre cronogramas e imprevistos


crédito: Pawel Kryj/Stock Images


Uma das primeiras Dicas do Empreendedor postadas aqui no Diário do Queijo abordava um assunto que deve ser prioridade para qualquer empreendimento, principalmente aqueles que estão dando os primeiros passos. Construir um cronograma e ter disciplina para cumprir os prazos e metas estabelecidos nele é essencial para fazer um novo negócio seguir adiante.

No entanto, um cronograma tem algo muito parecido com um plano de negócios: é um documento que se altera constantemente, conforme aparecem imprevistos e oportunidades.

Foi exatamente o que aconteceu conosco quando compramos a Laticínios Pomerode. Se por um lado ganhamos bastante tempo ao adquirir uma empresa pronta, por outro tivemos de nos aprofundar neste novo negócio.

Tivemos que entender o mercado, preços, linha de produtos, pensar em lançamentos, renovação de marca e de embalagens, entender o funcionamento da empresa como um todo, fazer ajustes administrativos, na contabilidade, no sistema, na TI, no RH. Isso tudo tomou e está tomando um enorme tempo.

Tanto que, quando começamos o blog, há um ano, o plano era lançar os primeiros queijos especiais da Vermont no mês passado. Agora, conseguimos reajustar nosso cronograma e apostamos que, em setembro ou outubro deste ano, entraremos no mercado com esses novos produtos.

Esperamos que valha a pena esperar mais um pouco!

Top 10 - Viagem de Estudos (8º)


Seguindo na nossa retrospectiva dos posts mais lidos neste primeiro ano de Diário do Queijo, relembramos agora de uma viagem muito especial, feita há um ano, para Vermont e Nova York. Foi quando colocamos a mão na massa e aprendemos a produzir queijos artesanais, além de visitar especialistas no assunto e lojas fantásticas.

O oitavo post mais lido nesses primeiros 365 dias de blog antecipa um pouco o que rolou nessa viagem para os EUA.

Leia aqui!